Método de exploração utilizado para perfuração e análise de rochas ou camadas de solo com material de grandes dimensões e muita resistência. Em geral começa-se a investigação com uma sondagem SPT e quando se atinge uma camada cujo material apresenta propriedades rochosas o equipamento é substituído, instala-se o motor para acionar a sonda e executa-se a sondagem rotativa. Em função da qualidade da amostra retirada, determina-se a qualidade do maciço rochoso, conforme VELLOSO, 2011.

Objetivo

Obtenção de amostras de materiais rochosos, possibilitando:

a) Identificação e caracterização:

– Origem, formação e mineralogia da rocha matriz.

b) Determinação de parâmetros específicos:

– Designação da qualidade da rocha (RQD):

  • Alia critérios de fraturamento e estado de fragmentação das amostras;
  • Apenas barriletes duplos com diâmetros ≥ NX podem ser utilizados;
RQD Qualidade do maciço rochoso
0 – 25% Muito fraco
25 – 50% Fraco
50 – 75% Regular
75 – 90% Bom
90 – 100% Excelente
Índice de qualidade da rocha, conforme VELLOSO, 2011.

 

– Percentual de recuperação (R%):

  • Depende do estado de conservação do equipamento;
  • Qualidade da amostra e do ensaio;
  • Quanto maior o R%, melhor a qualidade do ensaio.

c) Avaliação do estado de alteração e faturamento das amostras.

Aplicação

São ensaios realizados na ocorrência de elementos de rocha que precisam ser ultrapassados e caracterizados no processo de investigação. De acordo com REBELLO, 2008, deve-se aprofundar o amostrador pelo menos 4 metros, para ter a segurança de que não se está atravessando um simples matacão. Imprescindível, no caso de obras como:

a) Túneis, barragens e pesquisa de minérios;

b) Obras tradicionais em solos com matacões ou rochas a pequena profundidade:

  • Sondagem mista (SM): combinação de um equipamento de sondagem rotativa (SR) com outro de sondagem a percussão (SPT).

Barrilete

Ferramenta tubular utilizada para corte e retirada de amostras de rocha (testemunhos), com diâmetros básicos (EX, AX, BX, NX, HX), conforme tabela a seguir, adaptada de VELLOSO, 2011.

  Diâmetro da coroa (mm) Diâmetro do testemunho (mm)
EX 37,3 21
AX 47,6 30
BX 59,5 41
NX 75,3 54
HX 98,8 76
Diâmetros para barriletes

 

A ferramenta completa é composta de:

a) Coroa: Pastilhas de tungstênio, vídia ou diamante.

b) Calibrador com mola retentora;

c) Barrilete: Simples, duplo rígido ou duplo giratório.

Bibliografia

ABEF – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE ENGENHARIA DE FUNDAÇÕES E GEOTECNIA. Manual de Execução de Fundações e Geotecnia – Práticas Recomendadas. São Paulo: PINI, 2012.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6484: Solo – sondagens de simples reconhecimento com SPT – Método de ensaio. Rio de Janeiro, 2001.

ALONSO, U.R. Previsão e controle das fundações. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 1991.

CINTRA, J.C.A.; AOKI, N.; TSHUA,C.H.C.; GIACHETI, H.L. Fundações: ensaios estáticos e dinâmicos. São Paulo: Oficina de Textos, 2013.

REBELLO, Y.C.P. Fundações: guia prático de projeto, execução e dimensionamento. São Paulo: Zigurate Editora, 2008.

VELLOSO, D.A.; LOPES, F.R. Fundações, Volume 1 – 2 ed . São Paulo: Oficina de Textos, 2011.

Eng. Me. André Luís L Velame Branco
Projetista, Professor e Consultor de Cálculo Estrutural

Pela proposta de valor diferenciada oferecida pela ALL VELAME Projetos de Estruturas, existe um amplo leque de potenciais projetos locais e em outros estados e regiões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *